terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Frases Kamylla Ferreira...

-A vida é feita de escolhas, escolhas ruins, escolhas boas, escolhas duvidosas, mas principalmente, escolhas que irão mudar nossa vida. Nesse meio tempo eu aprendi a ver a vida de uma força mais colorida, evitar as pessoas que me fazem mal, dar valor as que me querem bem, não ser feliz as custas dos outros, mas pelo meu próprio esforço, concretizar meus objetivos por mais que pareçam impossíveis, crescer, evoluir e amadurecer. A minha se resumia em nada, mas com o tempo eu fui descobrindo que pra gente ser feliz só basta a gente querer, tudo o que a gente quiser pode acontecer se nós lutarmos e não desistirmos. Hoje eu levanto a voz e falo pra todo mundo, eu aprendi a ver a vida não só com momentos, mas com realizações ;} (Kamylla Ferreira) 



-Não me preocupo com tanta bobagem, apenas sou indiferente com pessoas & coisas fúteis. Nem ligo pro que dizem de mim, a única que me conhece como ninguém sou eu mesma, o que os outros pensam & falam eu jogo fora. Dou valor a quem me ama, não corro atrás do que já se foi, o que é realmente meu nunca se vai para sempre. Vivo cada dia como se fosse o último, não tento entender o mundo & nem as pessoas, é perda de tempo. Apenas vivo & sorrio, sendo sempre eu mesma, mas com a certeza de que não serei a mesma sempre

(Kamylla Ferreira) 



-Não destrua seus valores comparando-se a outras pessoas. É por sermos diferentes uns dos outros que cada um de nós é especial. Não estabeleça seus objetivos por aquilo que os outros consideram importante. Só você sabe o que é melhor para você. Não considere como garantidas as coisas que estão mais perto de seu coração. Dê atenção a elas como à sua vida, pois sem elas a vida não tem sentido. Não deixe sua vida escorregar pelos dedos, vivendo no passado ou só voltado para o futuro. Não desista enquanto você tiver algo para dar. Uma coisa só termina realmente no momento em que você deixa de tentar. Não tenha medo de admitir que você é "menos que perfeito". É esse tênue fio que nos liga uns aos outros. Não tenha medo de correr riscos. É aproveitando as oportunidades que nós aprendemos a ser valentes. Não exclua o amor de sua vida dizendo que ele éimpossível de encontrar. A maneira mais rápida de perder o amor é agarrar-se demais a ele, e a melhor maneira de conservar o amor é dar-lhe asas. Não despreze seus sonhos. Viver sem sonhos é viver sem esperança. Viver sem esperança é viver sem objetivo. Não corra pela vida muito depressa. A pressa pode fazê-lo esquecer não só onde você esteve, mas também para onde você vai. A vida não é uma competição, mas uma jornada, e cada passo do caminho deve ser saboreado.
(Kamylla Ferreira) 


-A vida é feita de escolhas, e eu faço as minhas, certas ou não... Eu corro atrás do queacredito, e sigo pelos caminhos que acho certo, aonde eles irão dar eu vejo depois; porque o mundo é daqueles que se atrevem a ir em frente, mesmo perdendo tudo... e não importa o que tiraram de você, o importante é o que vc faz com o que sobrou.
(Kamylla Ferreira) 



-As pessoas pensam que eu sou feliz, mas não sabem como é ver os seus amigos mentirem na sua cara, vendo as pessoas que você mais confiava te apunhalar pelas costas. Não sabem como é sertir-se perdido, sozinho, machucado, estar a beira de um colapso e não ter ninguém que você possa confiar. Quando você já está cansado de tudo ao seu redor, pessoas que você odeia e que mesmo assim tenta agradá-las, pessoas com grandes sorrisos falsos, e estúpidas mentiras, você só quer ser outra pessoa porque já se cansou de ser deixado de lado, você se sente desesperado pra achar algum motivo pra te fazer dar um sorriso cínico. E depois de tudo as pessoas pensam que sou feliz :@

(Kamylla Ferreira)








-Apagámos do horizonte, portanto, tudo aquilo que estava acima de nós. Já não nos submetemos; já não precisamos de servir; somos os maiores. Resolvemos ser auto-suficientes. Quebrámos todos os laços. E – por confusão – chamámos liberdade a isso…
Mas se não existe nada acima de nós, de quem receberemos a felicidade? Devíamos pensar nisto: por mais tontos que sejamos, somos capazes de compreender que não possuímos a capacidade de darmos a nós mesmos a felicidade…

(Kamylla Ferreira)


-É difícil subir o monte altíssimo. É preciso trocar tudo pelo instante mágico de chegar ao cume. Ali tudo é radicalmente verdadeiro: não é possível fingir que se vai a caminho. Deixam-se as forças na íngreme escalada, rasga-se a pele nos rochedos, abandona-se o aconchego do calor do corpo ao vento e à neve e ao gelo. Caímos e apetece-nos ficar por ali. Por vezes não sabemos se conseguimos dar mais um passo. Mas é tão belo! Só ali se respira verdadeiramente. Só ali se vêem todas as coisas com o seu verdadeiro relevo e com as suas cores verdadeiras. Só ali um homem se sente realmente rico – ele que deixou tudo lá em baixo.
(Camylla Ferreira)

- De pouco me serve, para ser feliz, o facto de poder ir tomar café a Londres e voltar para o almoço, ou ter a possibilidade de assistir a um importante jogo de futebol comodamente instalado na sala de estar da minha casa, se o meu egoísmo me afastar diariamente dos outros. Ou se a consciência me acusar de ter conquistado dinheiro e bem-estar à custa de prejudicar outras pessoas.
(Kamylla Ferreira)

- A felicidade continua a exigir de nós comportamentos que não são compatíveis com a facilidade. Não nos tornamos felizes carregando num botão. É preciso subir montanhas, insistir em esforços prolongados; acreditar, até ao heroísmo, na lentidão. Por vezes, reunimos todas as forças e não sabemos se aguentamos até ao fim do dia. 
(Kamylla Ferreira)

-Não é verdade que possamos eliminar da vida as grandes contrariedades, as decisões custosas, a doença, o esforço quase insuportável, a dor física e moral, a morte. Seremos felizes com eles ou não seremos felizes nunca. A vida é de tal maneira que o homem deve erguer-se nela como o castelo. Deve ser construído, pedra a pedra, de forma a permanecer no seu lugar quando sopram ventos inesperadamente fortes; de forma a cumprir aquilo que dele se espera, aquilo a que se comprometeu, aquilo que o torna feliz.
(Kamylla Ferreira)


-Com o dinheiro podemos comprar muitas coisas, mas não o essencial para nós. Proporciona-nos comida, mas não apetite; remédios, mas não saúde; dias alegres, mas não a felicidade.
(Kamylla Ferreira)




-Ao fazermos o mal, fazemos mal, em primeiro lugar, a nós mesmos. Aquilo que resulta desses actos é uma ferida noutras pessoas – se o mal que cometemos foi directamente contra alguém – e uma outra ferida, que permanece dentro de nós sob várias formas. Esta última é certamente ainda mais dramática do que a primeira. É uma espécie de terrível doença interior.
Existe o remorso. O desconforto de estarmos a sós connosco mesmos. Existe a angústia. E o desejo impossível de esquecermos. Existe a vontade louca de estarmos entretidos, a fuga à solidão e ao silêncio. A tentativa inútil de encontrarmos uma maneira de justificarmos perante nós mesmos os nossos actos. Existe o álcool… e a droga. E o medo. E, algumas vezes, o suicídio. A felicidade deixa de estar presente.
(Kamylla Ferreira)

- Nenhuma pessoa, nenhuma das coisas com que lidamos pode satisfazer plenamente o nosso desejo de bem, de felicidade, de beleza. Em primeiro lugar porque não são perfeitas (só a ilusão pode, temporariamente, fazer-nos ver nelas a perfeição). Depois, porque não são incorruptíveis nem eternas: apodrecem, gastam-se, engelham-se, engordam, quebram-se, ganham rugas… terminam.
Aquilo que procuramos – faz parte da nossa estrutura, não o podemos evitar – é perfeito e não tem fim. E não nos contentamos com menos de que isso. É por essa razão que nos desiludimos e que de novo nos iludimos: andamos à procura…
De resto, se todos ambicionamos um bem perfeito e eterno, ele deve existir. Só pode acontecer que exista. Mas deve ser preciso procurar num lugar mais adequado.
(Kamylla Ferreira)

-Quando tentamos aplicar receitas fáceis àquilo em que se joga a nossa felicidade, não resolvemos nada. Essas “soluções” simples para dificuldades grandes acabam por ser formas de fugir e não de enfrentar: semeiam frequentemente tragédias em nós e à nossa volta, ainda que só se notem mais tarde, e transferem o nosso problema pessoal para o terreno pantanoso das torturas interiores, dos remorsos, da depressão, do vazio, do desespero.
(Kamylla Ferreira)

-Qualquer que tenha sido o trajecto percorrido, chegámos a um estado no qual se pretendeu desvincular a felicidade do comportamento. A felicidade foi associada, em vez disso, a ter coisas, a ter comodidade, a ter prazer. O que se conseguiu com isso foi esta multidão feita de pessoas tristes, apesar do altivo aspecto exterior. E uma vida superficialmente mais fácil, mas dolorosamente amarga no interior do coração: tantos suicídios, tanta droga, tanta necessidade de barulho e de agitação, tantas pessoas incapazes de estarem a sós consigo mesmas…
(Kamylla Ferreira)



-O que verdadeiramente torna desgraçada uma pessoa – e inclusivamente uma sociedade inteira  eh essa procura, ansiosa e egoísta, de bem-estar: esse intento de eliminar tudo o que contraria.
(Kamylla Ferreira)



Um comentário:

  1. concordo com vc pois tem muita recalcada mese mundo!!!

    ResponderExcluir